27.9.10

domingou (observações)

- a escravidão disfarçada de logotipo e uniforme ( lembrei do horto lá na Bahia e os seres muito gentis que desmamaram a aroeira que está dentro do palácio da aclamação, enquanto eu bebia suco de mangaba e comia bolo de aipim com a sra. coronel)
- ausência das putas na estação da luz. é domingo. é sagrado. e puta é mais filha de deus do que eu.
- hj foi a primeira vez na semana toda que estava ao piano da estação uma mulher e não um homem.
- no parque da luz as fisionomias mudaram. sem guarda-chuva, sem roupas justas e maquiagem. os coreanos correm. os acidentais correanos correm. enquanto eu enjoo das suas comida a semana toda.
- saudades, é domingo. e não tem nada que me faça pensar em algo que não seja a saudades de casa e a crise do ciclo, a crise do ser, a vontade do tudo. tudo é uma coisa só.

sp - 18.07.2010

Um comentário:

O Impenetrável disse...

adorei o texto! parabéns pelo blog. adoro esse tipo de texto fragmentado, com um tom hermético meio q se escondendo. espero passar por aqui sempre. abraços!